PRIVATE AREA | REGISTER EN PT ES


WE STRONGLY
BELIEVE IN SOLID
FOUNDATIONS
Login
NEWS Organismos de Investimento Alternativo
Já há tempos aqui escrevi umas linhas sobre o que tem sido o papel dos bancos na economia até os dias de hoje e o que se espera para os próximos tempos. Volto a tocar neste tema por considerar que tem uma preponderância relevante sobre a economia mundial. 

Tem-se atribuído aos bancos uma grande dose de responsabilidade na crise mundial que se instaurou aquando da falência da Lehman Brothers em 2008. Por esse facto, alguns reguladores, nomeadamente o Americano, Inglês e da União Europeia tentaram regular e limitar ainda mais a atividade bancária nestes países. O principal impacto será a redução nos níveis de transformação dos bancos e consequente redução do crédito concedido à economia. Outra grande consequência será um maior equilíbrio de balanço no que respeita às maturidades dos activos versus as maturidades dos passivos dos bancos, e, como estes têm agora mais dificuldade em se financiar a médio/longo prazo, impactará com certeza os financiamentos a longo prazo muito habituais nesta última década, como por exemplo os project finance e créditos à habitação. 

A própria concessão de crédito, esperamos, será mais rigorosa, transparente e criteriosa e isso só por si atuará como um maior filtro na concessão de crédito. Este controlo mais apertado sobre a atividade bancária verifica-se para proteção dos próprios depositantes – clientes dos bancos e principais lesados caso as instituições entrem em processo de falência.

Se são os depositantes que se quer proteger acima de tudo, terão forçosamente de se equacionar alternativas ou corre-se o risco de um abrandamento abrupto do modo de funcionamento das economias. Na Europa, o Banco Europeu de Investimento já se encontra a comercializar um substituto para os conhecidos project finance, denominados Project Bonds. O Europe 2020 Project Bond Initiative, um programa conjunto da Comissão Europeia e do BEI foi concebido para estimular o financiamento do mercado de capitais em infra-estruturas desenhados sob estruturas project finance. O papel do Banco Europeu de Investimento é o de proporcionar credit enhancement através de um instrumento subordinado, seja um empréstimo ou linha contingente, para suportar a dívida sénior emitida pelo promotor do projeto.

Os fundos de dívida representam também outro tipo de veículo que se tem vindo a constituir como uma verdadeira alternativa ao crédito bancário, que envolve mais prazo e risco específico, mais técnico. Ainda recentemente se constituiu um fundo de capital relief com vista a aproveitar os cada vez mais avultados custos de capital dos bancos. Este fundo irá também gerar mais liquidez no sistema através da compra de risco relacionado com ativos selecionados.

Com esta evolução no sistema financeiro e a necessidade de se captar mais investimento para Portugal, foram criados pela CMVM os chamados Organismos de Investimento Alternativo. Estes são fundos de investimento que poderão gerir ativos não enquadráveis na definição de titulos mobiliários, titulos imobiliários e capital de risco. Assim cria-se uma nova “gaveta” que pretende enquadrar outro tipo de ativos e que provavelmente poderá ter como destinatário fundos de dívida, tanto performing, sub-performing e non performing. 

Parece-me que estes novos fundos vão com certeza atrair mais investidores e serão uma boa forma de diversificação de portfólio para os mesmos.

João Boullosa
Managing Partner
DUO Capital

VIDA ECONÓMICA
21/03/2014
LATEST NEWS